O CARÁTER CIENTÍFICO DA DOUTRINA DA EVOLUÇÃO

Fonte: Sociedade Criacionista Brasileira

Link do original: http://www.scb.org.br/artigos/FC01-27a42.asp

Autor: Willem J. Ouweneel, Pesquisador Associado em Genética Experimental em Utrecht, Holanda,com Ph.D. na Faculdade de Matemática e Ciências Naturais.

Resumo

Torna-se cada vez mais evidente que a evolução não é sequer uma boa teoria científica. Por exemplo, os evolucionistas afirmam que a vida surgiu naturalmente a partir de matéria inerte, mesmo sem existirem evidências a favor da geração espontânea. A explicação criacionista nesse particular é mais simples e também mais adequada.

O evolucionismo não se apresenta nem como uma teoria, nem como uma hipótese, mas como um dogma ou doutrina. Ele não se enquadra corretamente na “ciência natural”, mas sim no domínio da filosofia, por ser um postulado materialista.

Com o exame de seis requisitos, conclui-se que a teoria da evolução falha naquilo que se deve exigir de qualquer postulado ou concepção “científica”. Finalmente, embora nem o criacionismo nem o evolucionismo sejam estritamente um conceito “científico”, deve ser preferido o criacionismo devido a ser ele mais consistente com o nosso conhecimento, e ser ao mesmo tempo baseado na Palavra de Deus.

(mais…)

Coisas interssantes, sobre a evolução, que são escondidas de você! PARTE 1

O sentido da ocultação dessas provas é um só: Tentar provar a Teoria da Evolução que não têm embasamento científico.

Sim é isso mesmo que você leu, tanto o Criacionismo quanto o Evolucionismo é apenas questão de crença. A ciência não prova a Evolução, muito pelo contrário.

Primeiro vamos deixar claros alguns conceitos básicos para entender  o que eu digo. Em se tratando de ciência os termos possuem significados que dizem muita coisa e são de suma importância, qual a diferença de Teoria e Lei? Por exemplo, porque dizemos Lei da Gravidade, Lei da Biogênese e por outro lado, Teoria da Evolução, Teoria da Seleção Natural? As teorias provêm de hipóteses levantadas e pesquisadas, um observador verifica um fato, levando uma hipótese e em cima dessa hipótese cria uma Teoria. Já a lei é a observação e reprodução dessa teoria comprovadas em laboratório repetida vezes produzindo o mesmo resultado. Imaginem isso: O observador (Newton), foi ao seu laboratório, levou a maça que caiu em sua cabeça, ergueu-a e soltou. A maça caiu, depois ele repetiu o processo, a maça caiu novamente; Lei da gravidade. Agora imagine que na 15ª vez a maça não caísse… ou Newton fumou alguma coisa ou essa tal “gravidade”, não pode ser provada e por isso deveria se chamar “Teoria da Gravidade”. Ficou claro a diferença?

A natureza que nos cerca, seja o universo ou o banheiro da sua casa, estão estritamente seguindo as leis naturais, (você não vai flutuar no seu banheiro). Algumas leis se aplicam apenas na terra, outras leis são aplicadas apenas no vácuo do universo, mas no entanto não deixam de ser Lei e por isso devem ser seguidas, a bem da verdade é que essas Leis Naturais são seguidas porque não temos como quebrá-las. Tá certo, você vai dizer que o avião quebra a Lei da Gravidade, certo ? Errado, o avião não quebra a lei da gravidade, apenas seu empuxo faz com que ele voe, mas isso não significa a “não gravidade”, significa que achamos um meio de passar várias horas na fila de embarque para conseguir viajar pelos ares.

A Lei da Biogênese, em suma diz que:  “Vida produz vida”, ou seja, um objeto inanimado não é capaz de produzir vida, ou seja, sua torradeira não vai virar um monstro e te atacar qualquer dia desses (All spark, o cubo de transformer não existe, ok?), você não vai ver sua porta da sala acasalando com a do quarto para produzirem portinhas. Vida produz vida, porém segundo a evolução viemos de uma grande “sopa de proteínas”. Existe um modelo de como a vida foi criada, modelo criado por Stanley Mille, que seria grosso modo o seguinte, ele juntou alguns elementos químicos (metano, amônia, hidrogênio e vapor de água) e distribuiu uma descarga elétrica significativa, resultado, apareceram algumas proteínas… Ohh!!! Porém não conseguiram criar a arginina, a histidina e a lisina, fundamentais para a formação tanto do DNA quanto do RNA.  De fato é um absurdo dizer que o modelo de Miller “prova” a evolução, o máximo que ele pode provar é que precisou de um “ser” inteligente para juntar esses modelos todos e em seguida realizar uma descarga elétrica pra criar umas proteínas, as quais nenhuma delas á capaz de produzir vida. Imaginem isso:
É noite, você está com fome, vai à geladeira e encontra sopa, “Uma sopinha não faz mal a ninguém”, já dizia sua mãe. Você vai dormir, resolve ligar o ventilador, no momento que você coloca na tomada, cai um raio que corre pela rede elétrica e chega até você, resultado, tomou uma descarga de milhões de volts, mas por um milagre está vivo. Abre a janela e vai dormir. De manhã amanhece com dor de barriga, uma dor muito forte, ae você pensa, “foi o raio, não foi a sopa” e vai para o “nosso amigo”, o vaso !

Senta e verifica que está fazendo uma força além do normal e não sai nada, depois de 2 horas de extrema força, 3 carros do corpo de bombeiro,  2 repórteres da Recordo te filmando ao Vivo e apresentando no “Hoje em Dia”, você consegue finalmente expelir algo, quando vai ver, é um ovo! Sim um ovo, e grande, e com uma casca estranha… Ohh! E ae quando você menos espera, ele se parte, dentro dele tem o Baby que olha pra você e diz… “NÃO É A MAMÃE !”, os repórteres da Record já estão dizendo isso é um absurdo, entra Datena te chamando de pedófilo e pedindo pena de morte pra você… enfim você entendeu.

A teoria da evolução é quase igual a isso, só têm algumas diferenças em relação de escala de tempo.

continua…